quarta-feira, 5 de setembro de 2007

Albinismo mental.

É chato quando as ideias não rendem. Olhas à tua volta e não vês nada sobre nada. Olhas para um dicionário e só vês um dicionário. Olhas para uma fotografia e a tua cabeça não vê nada além disso.

É chato. Muito chato. Aborrecido. Fastidioso.

Como. São cereais ao jantar. O chocolate já não sabe a nada. (já viram chocolate que não sabe a nada?) São xaropes esquecidos de tomar. Cartazes não colocados. O som de um telemóvel a vibrar algures no meu quarto. Livros novos (de disciplinas escolhidas mas que, afinal, já não gosto). Blocos novos e blocos gastos. Blocos. Flocos. Um floco. A minha cabeça é um floco de neve. Branquinha, branquinha. Vazia. Sem ideias.

Estou cansado, é claro,
Porque, a certa altura, a gente tem que estar cansado.
Álvaro de Campos


Ontem briguei com o amor... e sinto-me pequenina, pequenina...

3 comentários:

  1. É verdade... parece que as vezes estamos num periodo muito infertil para as ideias e coisas boas!

    ResponderEliminar
  2. oi! ao acaso achei seu blog (pelo google), e achei seu jeito de escrever bastante poético; gostei.

    vou deixar o link do meu blog, posto poemas nele, depois vc dá uma olhada

    http://pintogabriel.blogspot.com/

    bju

    ResponderEliminar